17/12/2008

UM DIA

Para a Teresa Patrício

Um dia quando nos faltar a lembrança
Do que fomos inteiros e crentes um dia
Quando a esperança for maior que nós
De verdade e nos fizer esquecer um dia
De vida que se nos escapou sem perdão
Qual infidelidade ao nosso credo um dia
Seja ele qual for na sua beleza rompante
Da luz que alumia quais mãos que um dia
Se estenderam e cantaram em voz calma
A alegria de agradecer a amizade, um dia

Lisboa, 17 de Dezembro de 2008

1 comentário:

Leh disse...

Muito bonito esse poema...